Glaucoma atinge 1 milhão de brasileiros

Glaucoma atinge 1 milhão de brasileiros

Estima-se um crescimento de 50% no número de casos nos próximos cinco anos

Todo o dia 26 de maio é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, doença da visão associada ao aumento da pressão intraocular que provoca atrofia progressiva no nervo ótico e consequentemente cegueira, se não for tratada.

No Brasil, a doença atinge 2 a 3% dos indivíduos acima de 40 anos, o que corresponde a aproximadamente 1 milhão de pessoas e estima-se um crescimento de 50% nos próximos 5 anos devido ao envelhecimento da população brasileira. “O mais impressionante é que, deste total, a estimativa é de que 700 mil brasileiros nem saibam que têm a doença”, destaca o oftalmologista Marcos Ferraz.

De acordo com o especialista, idade avançada, histórico familiar de glaucoma, afrodescendência e pressão intraocular elevada são os principais fatores de risco. Além destes, outros fatores de risco devem ser considerados, como diabetes, alterações da pressão arterial, miopia, enxaqueca e alterações oculares.

Os dois principais tipos de glaucoma são o de ângulo aberto, que corresponde a cerca de 80% dos casos, tende a ser hereditário e se desenvolve de forma lenta, gradual; e o glaucoma de ângulo fechado (agudo), provocado pelo bloqueio súbito dos canais lacrimais que podem ocasionar dores de cabeça e nos olhos, auréolas de arco-íris ao redor das luzes, náusea e vômitos.

Acompanhamento

Em geral, a recomendação é visitar o oftalmologista para exames de rotina pelo menos uma vez ao ano, para que a doença não seja diagnosticada tardiamente.

Alguns testes são fundamentais para diagnosticar a presença de glaucoma, como o exame do fundo do olho, do mapeamento de retina, da medida da pressão intraocular (tonometria), da espessura da córnea (paquimetria) e do exame de campo visual.

Apesar de não ter cura, o glaucoma pode ser controlado e, por isso, é essencial seguir à risca o tratamento médico, seja ele por meio do uso colírios, de intervenções feitas com laser ou cirurgias.

Leave a Reply

Your email address will not be published.