Mudando de atitude para prevenir lesões

Mudando de atitude para prevenir lesões

Após compreender o nível esportivo em que você se encontra, saiba como mudar a sua atitude em relação ao seu corpo e obter resultados em curto prazo

Por Márcio Oliveira*

Desde o início desta coluna, tenho ressaltado que nem sempre conseguiremos impedir todas as lesões esportivas, mas somos perfeitamente capazes de diminuir a sua incidência e gravidade. Esse raciocínio baseia-se no fato de que evoluímos muito do ponto de vista científico, nos tornando capazes de compreender como a maior parte das lesões ocorre e, portanto, podemos raciocinar de forma a impedi-las.

No entanto, sabemos que algumas situações são impossíveis de serem controladas por completo, como uma queda em um ciclista ou uma contusão em esportes de contato.

Sendo assim, a partir do reconhecimento do nível esportivo (coluna anterior), podemos mudar o nosso comportamento e adotar algumas práticas simples, porém efetivas:

Praticantes de atividade física

Como buscam na maior parte das vezes saúde e socialização, exigem pouco do corpo e estão menos susceptíveis a lesões. Para essas pessoas, o mais importante é realizar avaliações médicas anuais, de modo a afastar fatores de risco sistêmicos, como afecções cardiovasculares e (ou) respiratórias;

Praticantes de esportes

Pelo fato de estarem envolvidos com modalidades específicas, temos condições de criar abordagens relacionadas diretamente com essas práticas. Então deve-se pensar em como fazer o aquecimento, se a prática é realizada dentro de uma frequência coerente, quais são os melhores instrumentos de prática e em atividades paralelas, que podem proporcionar a melhora do condicionamento físico;

Atletas amadores

Todos aqueles que estão envolvidos com o rendimento esportivo devem buscar elementos que proporcionem a melhora do condicionamento físico, associando adequada nutrição, repouso e estratégias de prevenção. Para esse grupo, pensar em frequência de prática, métodos de aquecimento ou condicionamento já é uma regra.

Sendo assim, as principais recomendações são a inclusão de exercícios para melhora da biomecânica do gesto esportivo, o reequilíbrio de grupos musculares que ficam discrepantes pela dominância associada aos movimentos das modalidades e a introdução de métodos de recuperação muscular, atualmente conhecidos como “recovery”, que proporcionarão a adaptação mais rápida à rotina de atividades baseada principalmente na diminuição da fadiga e dor muscular.

Na próxima coluna apresentarei alguns exercícios que poderão beneficiar os praticantes de esportes em geral, independente do nível ou modalidade.

 

*Especialista em Fisioterapia Esportiva, Pós-graduado em Fisioterapia Traumato-Ortopédica, Mestre em Ciências da Saúde e Doutorando em Saúde Baseada em Evidências. Além de atuar como fisioterapeuta, é docente e coordenador da Pós-graduação em Fisioterapia Traumato-Ortopédica e Esportiva do Centro Universitário de Brasília – UniCEUB.

Leave a Reply

Your email address will not be published.