Proteja o seu ombro – mobilidade x estabilidade

Proteja o seu ombro – mobilidade x estabilidade

Medicina Esportiva

Uma articulação que se caracteriza pela grande mobilidade necessita de exercícios para estabilidade

Quando pensamos na função do membro superior, lembramos de atividades básicas do nosso dia a dia, como pentear os cabelos, escovar os dentes ou se alimentar.

De fato, os membros superiores são a base da nossa sobrevivência e estão envolvidos em quase todas as atividades do cotidiano das pessoas.

Nesse sentido, o ombro, articulação chave para o posicionamento e utilização das mãos, torna-se o maior responsável pela mobilidade dessa região.

A mobilidade é fator fundamental para a prática esportiva. No entanto, mobilidade sem estabilidade é uma fonte inesgotável de queixas e lesões.

Muitas modalidades esportivas estão historicamente associadas às lesões do ombro, como o voleibol, a natação e o tênis, por exemplo.

Em comum, são atletas que realizam gestos com o membro superior elevado acima de noventa graus, de forma repetitiva e com potência nos movimentos.

Ao longo das últimas décadas, as pesquisas envolvendo a biomecânica esportiva mostraram que as principais fontes de lesões no ombro estão relacionadas à falta de sincronismo entre os músculos que movimentam a cintura escapular (ossos que unem o membro superior ao tronco), aqueles que geram a força para os movimentos do ombro e os que protegem a articulação (mantendo os ossos estabilizados – congruentes, durante os movimentos).

Tornou-se evidente também, que mínimas queixas contribuem de forma significativa para o início de um ciclo progressivo de alterações nessa fisiologia articular.

Sendo assim, se queremos pensar em manter uma ótima função, preservando a mobilidade e garantindo a estabilidade, temos que conciliar toda essa engrenagem.

Apresento, nesta edição, dois exercícios que podem ser adicionados à sua rotina (se já possui um profissional que o acompanha, apresente a ele, para que possam avaliar a melhor forma de inseri-los), para serem realizados pelo menos duas vezes por semana.

O objetivo principal é melhorar a função dos músculos protetores do ombro, evitando dores e lesões provenientes do desgaste físico associado à prática esportiva, principalmente em modalidades com que envolvem o uso dos membros superiores acima de noventa graus.

Podem ser realizados por praticantes de esportes em geral, desde que não possuam queixas na região. Nesse caso, recomenda-se procurar um especialista.

*Especialista em Fisioterapia Esportiva,
Pós-graduado em Fisioterapia Traumato-Ortopédica, Mestre em Ciências da Saúde e Doutorando em Saúde Baseada em Evidências. Além de atuar como fisioterapeuta, é docente e coordenador da Pós-graduação em Fisioterapia Traumato-Ortopédica e Esportiva do Centro Universitário de Brasília – UniCEUB. Contato: marcio.oliveira@viverpeloesporte.org.

Leave a Reply

Your email address will not be published.