Qual é o seu nível de prática esportiva?

Qual é o seu nível de prática esportiva?

Qual é o seu nível de prática esportiva?

Praticantes de atividade física ou esportes não são necessariamente atletas, mas todos podem dar um passo decisivo na busca pela prevenção de lesões

Por Márcio Oliveira*

Em minha abordagem introdutória (primeira coluna), fiz questão de ressaltar a viabilidade em manter uma rotina de prática esportiva e até mesmo participar de competições amadoras sem correr o risco de se tornar mais um número na elevada estatística de lesões esportivas. Mas quais são os passos que devemos seguir para alcançar esse objetivo?

Primeiramente você deve identificar o seu “status” esportivo, ou seja, compreender em que nível de prática você se encontra. Sendo assim, de forma objetiva, porém efetiva, podemos reunir as pessoas em 5 grupos: sedentários, praticantes de atividade física, praticantes de esportes, atletas amadores e profissionais.

Com exceção dos sedentários, que estão sempre fugindo do suór, os demais grupos são formados por pessoas que de algum modo realizam atividades físicas. Se estas forem somente uma prática inespecífica, como por exemplo uma caminhada, corrida ocasional ou mesmo atividades aquáticas, muito comuns em nossa cidade, estarão no primeiro grupo e podem ser diferenciados dos praticantes de esportes pelo fato de que esses selecionaram uma ou mais modalidades e passaram a praticá-las dentro de uma frequência específica, geralmente sob a supervisão de um professor/treinador e dentro de um padrão programado de evolução técnica e física. Não estão necessariamente em uma equipe, mas se encontram dentro de uma realidade mais organizada e específica.

Atletas amadores são aqueles que treinam e competem. Não exercem o esporte como profissão, mas podem chegar ao nível de rendimento semelhante ao de um profissional. Muitas vezes submetem o corpo e a mente a exigências acima do limite fisiológico. Esse é um grupo muito susceptível às lesões esportivas, pois não são profissionais, mas se comportam como eles. No entanto, não possuem a mesma disponibilidade e estrutura, tornando-se um alvo fácil para intercorrências de diferentes natureza.

Os atletas profissionais são aqueles que dependem necessariamente de sua performance. Como o esporte não é democrático, se submetem sempre ao mais alto nível de rendimento para conquistar vitórias e obter retorno financeiro. Muitas pessoas acham que eles já possuem equipes multidisciplinares e estão habituados a rotinas sofisticadas de avaliação e intervenção médica. Para uma parte deles, isso é fato. No entanto, principalmente pela falta de apoio e estrutura de algumas modalidades, muitos atletas seguem a sua trajetória com mínima assistência.

Na próxima coluna daremos prosseguimento em nosso raciocínio, indicando caminhos para cada grupo e lembrando que nem sempre conseguiremos impedir todas as lesões esportivas, mas somos perfeitamente capazes de diminuir a sua incidência e gravidade.

Para Márcio Oliveira, a identificação do status esportivo é fundamental

*Especialista em Fisioterapia Esportiva, Pós-graduado em Fisioterapia Traumato-Ortopédica, Mestre em Ciências da Saúde e Doutorando em Saúde Baseada em Evidências. Além de atuar como fisioterapeuta, é docente e coordenador da Pós-graduação em Fisioterapia Traumato-Ortopédica e Esportiva do Centro Universitário de Brasília – UniCEUB.

Leave a Reply

Your email address will not be published.